SINDICATO ANUNCIA ASSEMBLEIA NA QUINTA-FEIRA PARA DECIDIR SOBRE NOVA GREVE. TODOS AMANHÃ NA ASSEMBLEIA!!!

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus do Rio de Janeiro (Sintraturb Rio) realizará na próxima quinta-feira uma assembleia para deliberar sobre nova greve. A categoria espera um acordo durante a sessão de conciliação que será realizada nesta quarta-feira no Tribunal Regional do Trabalho (TRT). De acordo com Sebastião José, presidente do sindicato, já foram encaminhados ofícios para o prefeito, a Fetranspor e a Policia Militar, informando sobre a possibilidade de paralisação de motoristas e cobradores.

— Estamos prevendo um dezembro negro para a categoria. Essa briga entre o executivo municipal, Fetranspor e Judiciário, quem acaba sofrendo as consequências são os motoristas e cobradores. Em todos esses anos como sindicalista nunca presenciei tamnho desrespeito com os profissionais que fazem a cidade se movimentar transportando milhares de pessoas diariamente — disse.

O sindicato alega que está há 17 meses está sem reajuste salarial e que teme a perda de mais de cinco mil postos de empregos. Ainda segundo o Sintraturb, cerca de 600 ônibus serão retirados de circulação em dezembro por já estarem velhos e sem uso, o que irá proporcionará, de acordo com o sindicato, a perda de mais de 1200 postos de trabalho.

Quatro empresas do setor fizeram greve nesta terça-feira. Todas são do Consórcio Internorte — Nossa Senhora de Lourdes, Rubanil, América e Madureira Candelária — que transportam, juntas, um total de 137 mil passageiros, por dia, e cobrem 13 itinerários na Zona Norte da cidade. Os rodoviários da Nossa Senhora de Lourdes, que já haviam cruzado os braços na segunda-feira, resolveram voltar ao trabalho por volta do meio dia, após aceitarem a contraproposta da direção da empresa, segundo dirigentes do Sintraturb Rio, que acompanharam de perto o movimento.

Os rodoviários da Nossa Senhora de Lourdes protestavam contra o anúncio da empresa, por meio de cartazes afixados nas cabines dos despachantes nos pontos finais, de que o décimo terceiro seria pago em cinco parcelas iguais, correspondentes a 20% do valor a ser pago, cada. Com a paralisação de segunda-feira, a empresa propôs reduzir para quatro as parcelas, sendo 40% pago na primeira, programada para esta quinta-feira, e as três demais até fevereiro, de 20% do valor, cada. A proposta refeita nesta terça-feira, mantém o mesmo parcelamento, mas os percentuais passam a ser de 40%, 25%, 20% e 15%, segundo dirigentes do Sintraturb.

— Inicialmente a empresa alegou que não daria férias a partir de agosto, para não atrasar o nosso décimo terceiro. Aceitamos o sacrifício, mas não adiantou de nada. Fomos surpreendidos por um cartaz nas colado nas cabines dos despachantes informando o parcelamento. A revolta maior é pela forma como nos foi comunicado, por meio de um cartaz — se queixou o motorista Erinaldo Fernandes da Silva, de 36 anos, da linha 312 (Olaria—Candelária).

Quatro meses de salários atrasados

Enquanto na Nossa Senhora de Lourdes, a queixa era com relação ao parcelamento do décimo terceiro, nas Rubanil, América e Madureira Candelária, que pretencem a um mesmo grupo, funcionários se queixam de atraso de salários de até quatro meses. Um motorista da Rubanil, que não quis se identificar, exibiu o contracheque recebido esta semana, relativo ao pagamento de julho. Ele se queixou ainda que os descontos fizeram o vencimento bruto de R$ 2.338 cair para R$ 925.

Clique aqui e veja a matéria completa na íntegra.

Fonte: O Globo