Motoristas e trocadores de ônibus decidem aguardar proposta dos patrões

Motoristas e cobradores de ônibus entraram em estado de greve por 72 horas, na noite desta segunda-feira, após assembleia da categoria. Cerca de 350 trabalhadores se reuniram na sede do sindicato da categoria (Sintraturb Rio), no Centro do Rio, por cerca de duas horas. Por maioria absoluta, eles decidiram aguardar uma contraproposta do sindicato patronal.

Na última quarta-feira, o grupo sindical encaminhou um ofício para a Secretaria municipal de Transportes no qual comunicou sobre a assembleia geral desta segunda. No encontro, outra situação discutida pelos profissionais diz respeito à dupla função, onde o motorista também exerce a atividade de cobrador nos ônibus.

— Todos os setores responsáveis já foram comunicados através de ofício sobre a assembleia. Vejo com grande preocupação essa nova legislação trabalhista, que deixa a categoria completamente desprotegida de seus direitos, já que coloca na mão do empresário o poder de decidir o valor do salário que será pago aos profissionais independente da data do dissídio. Uma verdadeira covardia! — disse o presidente do Sintraturb Rio, Sebastião José, mostrando-se bastante indignado.

Já durante a assembleia, a categoria recebeu um ofício do Rio Ônibus, sindicato das empresas, onde o grupo afirma ter “condições de retomar a discussão de cláusulas econômicas da Convenção Coletiva de Trabalho”.

Durante a assembleia desta segunda, a categoria recebeu um ofício do Rio Ônibus, sindicato das empresas, onde o grupo afirma ter “condições de retomar a discussão de cláusulas econômicas da Convenção Coletiva de Trabalho”, ou seja, pagamento dos salários atrasados, 13° salário, férias, cesta básica e dissídios de 2017..

— Vamos dar mais um crédito aos emrpesários para que, desta vez, eles cumpram com a palavra — afirmou o presidente do Sintraturb-RJ, ao final da assembleia.

Fonte: O Extra