DEU NO JORNAL O GLOBO – SINDICATO DE ÔNIBUS ACATA DECISÃO JUDICIAL QUE PROÍBE PARALISAÇÃO

Para evitar multas e prisões, coletivos circulam normalmente na cidade nesta terça

RIO – Sob ameaça de prisão e multa a manifestantes, o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus do Rio (Sintraturb) resolveu acatar decisão da Justiça, que proibiu a paralisação convocada pela entidade para esta terça-feira. Os diretores do sindicato foram às portas das garagens distribuir um manifesto aos profissionais da categoria no qual avaliam “o absurdo da decisão”. A categoria alega estar há 17 meses sem reajuste salarial e temer a perda de mais de 5 mil postos de emprego.

Os rodoviários fazem uma série de reivindicações às empresas de ônibus do município, como o reajuste salarial em 10% e o pagamento imediato de salários atrasados, INSS, férias, cesta básica e auxílio-alimentação. Os ônibus circulam normalmente pela cidade.

Uma decisão da Justiça proibiu os rodoviários de fazerem o protesto marcado para esta terça-feira, de 4h às 9h. Caso contrário, cada manifestante seria multada em R$ 1 mil; o dirigente, em R$ 10 mil; e o sindicato, em R$ 50 mil. O departamento jurídico do sindicato tentou caçar a liminar em Brasília, no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Tribunal Superior do Trabalho (TST), sem sucesso. Na avaliação da categoria, a determinação judicial favorece as empresas de ônibus e a Fetranspor em um “atentado contra a democracia e a liberdade de expressão”.

— Colocamos um diretor na porta de cada garagem mostrando que o sindicato foi até a última instância para tentar caçar a liminar, mas, para nossa surpresa, havia a presença da Polícia Militar com a ordem para prender quem desrespeitadas a decisão judicial. A Justiça sempre concedeu liminares contra as paralisações da categoria apenas limitando o número de veículos na rua, já que se trata de um serviço público, mas jamais, em 37 anos de sindicalismo, houve proibição do ato. Isso é um verdadeiro absurdo. Isso vai totalmente de encontro à Constituição — afirmou o presidente do sindicato, Sebastião José.

De acordo com o sindicato, 600 ônibus serão retirados de circulação no próximo mês por estarem velhos e sem uso. A retirada de carros das ruas levará à perda de 1,2 mil postos de trabalho, nas estimativas da categoria. Sebastião salientou ainda que profissionais de várias empresas comunicaram ao sindicato a falta de condições de pagar o 13º este ano.

Clique aqui e veja a matéria completa na íntegra.

Fonte: O Globo