Após fim de empresa de ônibus, sindicato irá à Justiça por direitos de funcionários

Após a crise se tornar insustentável, a Estrela Azul decidiu encerrar suas atividades na última segunda-feira, após funcionários decidirem, mais uma vez, cruzar os braços. Duzentos e cinquenta destes motoristas, cobradores, mecânicos e fiscais, agora, procuraram o Sindicato dos Motoristas e Cobradores do Rio (Sintraturb-Rio), nesta terça, para que o sindicato possa entrar com uma ação na Justiça, visando que todos os 400 profissionais tenham seus direitos garantidos. Uma audiência deverá acontecer na quarta-feira, às 8h35, na 81ª Vara do Trabalho, no Centro, para que seja dada entrada nos processos de rescisão processual.

De acordo com o Sintraturb-Rio, a Estrela Azul deve salários, cesta básica, vale-refeição e 13º salário a funcionários. O vice-presidente do sindicato, José Carlos Sacramento, disse que durante anos como sindicalista jamais havia visto uma situação como esta.

— Vamos solicitar ao juiz inicialmente, que seja liberado o mais rápido possível o FGTS e o seguro desemprego de todos os funcionários, para que eles possam ter um pouco de tranquilidade até se colocarem de novo no mercado. Esta é uma situação muito triste e preocupante, já que, infelizmente, tanto a prefeitura como a Fetranspor não estão dando o devido valor ao transporte público de passageiros na cidade, e quem acaba pagando o pato por isso é a categoria e os passageiros. Em todos esses anos de sindicalismo jamais havia visto uma situação tão degradante — afirmou.

Ele lembra que em dezembro do ano passado, os funcionários já haviam realizado uma paralisação de advertência, já que o acordo feito entre o sindicato e o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) acerca do pagamento de oito meses de salários atrasados em 24 parcelas pela empresa aos funcionários, não estava sendo cumprido. Segundo o sindicalista, a direção da empresa chegou a pagar R$ 800 referente a parte da primeira parcela de R$ 1200 acordado, deixando de pagar o restante em seguida. A empresa atendia as linhas 292, 311, 464, 434 e 435, e transportava cerca de 30 mil passageiros diariamente entre as Zonas Norte e Zona Sul.

Fonte: O Extra