APÓS ASSEMBLEIA, RODOVIÁRIOS MARCAM PARALISAÇÃO GERAL PARA O DIA 31 DE DEZEMBRO

Motoristas e cobradores reclamam de atrasos no pagamento de salários, 13º, férias e cesta básica

RIO – O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus do Rio (Sintraturb Rio) anunciou que haverá uma paralisação geral da categoria no último dia do ano. A decisão foi tomada em assembleia realizada nesta quinta-feira.O presidente do sindicato, Sebastião José, afirma que, na avaliação dele, não existe mais nenhum interesse dos empresários de ônibus em sentar à mesa de negociação.

Os motoristas reclamam de atraso nos pagamentos do salário, do 13º, das férias e de cesta básica. “A categoria optou em passar o final de ano em companhia de suas famílias ao invés de trabalhar de graça”, informou o comunicado.

— Os profissionais vivem hoje uma verdadeira calamidade, já que há 17 meses estão sem reajuste salarial e apreensivos com a perda de mais de cinco mil postos de empregos. Para piorar a situação, em dezembro cerca de 600 ônibus serão retirados de circulação por já estarem velhos e sem uso, o que irá proporcionar a perda de mais de 1200 postos de trabalho. Estamos prevendo um dezembro negro para a categoria — destacou Sebastião José, que classificou os atrasos salariais como um desrespeito à categoria.

— Nessa briga entre o Executivo municipal, Fetranspor e Judiciário, quem acaba sofrendo as consequências são os motoristas e cobradores. Em todos esses anos como sindicalista nunca presenciei tamanho desrespeito com os profissionais que fazem a cidade se movimentar transportando milhares de pessoas diariamente.

RIO ÔNIBUS DIZ QUE IRÁ À JUSTIÇA

Em nota, a Rio Ônibus informou que, assim que for notificada oficialmente sobre uma nova paralisação, recorrerá à Justiça para pedir que o movimento seja declarado ilegal.

No texto, o sindicato das empresas de ônibus do Rio de Janeiro alega que uma greve “causaria enormes prejuízos aos 4 milhões de passageiros que andam de ônibus todos os dias no município do Rio de Janeiro.”

Clique aqui e veja a matéria completa na íntegra.

Fonte: O Globo